Introdução

O Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e a Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, em parceria com o Centro Global para a Pesquisa em Política e Economia da Saúde da Escola de Saúde Pública da Universidade da Califórnia em Berkeley, a Estação de Trabalho Sinais de Mercado do NESCON/UFMG, o Departamento de Recursos Humanos em Saúde da Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) realizarão curso de 40 horas sobre economia e mercado de trabalho em saúde. O curso visa promover a investigação e a formação no campo da economia do trabalho e da educação em saúde para pesquisadores/gestores do Brasil e países parceiros do MERCOSUL e da Região Andina, a ser realizado no Rio de Janeiro/RJ, no período de 8 a 13 de agosto de 2011, em horário integral. 

Objetivo

A proposta do curso é de trabalhar modelos e ferramentas econômicas utilizadas na estimativa de necessidade, demanda e oferta da força de trabalho em saúde. Seu objetivo é fornecer uma análise das exigências de habilidades e competências, da distribuição e dos incentivos necessários ao aumento da produtividade da força de trabalho em saúde. O curso analisará as políticas de Recursos Humanos em Saúde que promovam o fortalecimento dos sistemas de saúde via melhoria da efetividade da força de trabalho em saúde, fortalecendo o recrutamento e a retenção por exemplo, e reduzindo desequilíbrios urbano-rurais.

Quem deve participar: Este curso destina-se a gestores, planejadores, analistas, especialistas e profissionais com experiência em ciências da saúde ou sociais, em saúde ou em RH, pesquisadores de observatórios de RHS e outros que trabalham no campo de recursos humanos em saúde em organizações como Ministério ou Secretarias de Saúde, instituições de saúde, organizações de ajuda, e instituições acadêmicas e de pesquisa. Os princípios ensinados no curso serão aplicáveis em todos os países, mas os estudos de caso terão como foco o Brasil e os países da América Latina. Os estudos de caso incluirão exercícios quantitativos com análise de dados. Participantes devem ser proficientes em português ou em inglês para leitura de bibliografia especializada.

Aplicação: os candidatos deverão solicitar pré-inscrição para seleção por meio de envio de Currículo Vitae resumido (no máximo 5 páginas) acompanhado de carta de intenção, justificando a participação, até o dia 01/07/2011 (sexta-feira), através do e-mail capacitacaoapfts@gmail.com .

Os participantes internacionais serão responsáveis pela obtenção de vistos.

Contato: maiores informações poderão ser obtidas pelos telefones: (61) 3315-2598 (MS-Márcio) e (21) 2234-7378 (IMS-Mayra) ou pelo e-mail: capacitacaoapfts@gmail.com

Ementa

Análise do mercado e da força de trabalho em saúde. Como interagem os profissionais de saúde no interior de um sistema de saúde? Como os profissionais de saúde são definidos (ex.: formação, competências)? Quais fatores afetam a oferta e a demanda da força de trabalho e como os salários são determinados?

Necessidade, demanda e oferta de força de trabalho. Quais métodos são utilizados para estimar a necessidade e a demanda da força de trabalho em saúde? Como a oferta da força de trabalho pode ser prevista? Como mudanças nas exigências de habilidades e competências podem reduzir a escassez da força de trabalho em saúde? Como a desigualdade presentes no mercado de trabalho pode ser mensurada? Quais são as fontes e os bancos de dados principais sobre a força de trabalho em saúde?

Incentivos, produtividade, desempenho. Como recrutar e reter os profissionais de saúde? Quais fatores afetam a equidade e a distribuição desses trabalhadores e como se pode influenciá-los? Como recrutar profissionais para as áreas rurais? Quais incentivos já foram testados e que resultados foram alcançados?

Financiamento. Como os modelos de financiamento afetam a força de trabalho em saúde? Quais são os diferentes tipos de sistemas de financiamento de saúde existentes e quais são as vantagens e desvantagem de cada um deles? Quais são os mix possíveis de pagamentos público e privado, via seguro ou desembolso próprio e como os países se distribuem em relação a essas combinações?

Desenho de projetos de pesquisa de avaliações. Como incluir um componente de avaliação dentro de um projeto de política de recursos humanos, por exemplo, para testar o efeito de incentivos no mercado de trabalho? Como economistas e gestores pela política podem trabalhar juntos, e quais são os exemplos desse trabalho em conjunto em seu país? Como iniciativas globais de saúde como os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas afetam o planejamento da força de trabalho?

 

 Introduction

The Social Medicine Institute of University of the State of Rio de Janeiro and the Secretary of Labor Management and Health Education of Brazil Ministry of Health , in partnership with the Global Center for Health Economics and Policy Research of the School of Public Health of University of California, Berkeley, the Workstation on Market Signals at NESCON/UFMG, the Human Resources for Health Department of World Health Organization (WHO) and the Pan American Health Organization are organizing a 40 hour training on of health labour market and economics. This course aims to promote research and training on health labour markets, education in health and economics for researchers and managers from Brazil and other countries from MERCOSUL and Andean region. The course will be held in Rio de Janeiro/RJ, from 8 to 13 August, 2011.  

Overview

This course will present economic models and tools to estimate workforce needs, demand, and supply. The course will provide an overview of key topical areas centred on increasing productivity, skill mix, distribution, and incentives. It will analyse Human Resources for Health policies that have strengthened health systems trough improvement of health worker effectiveness, increasing recruitment and retention for example, and reducing urban-rural imbalances.

Who should attend: This course is for managers, planners, analysts, experts and practitioners with background on health or social sciences, health or Human Resources – preferably with post graduation, researchers from HRH observatories and others who work in the human resources for health field in organizations such as Ministry or Department of Health, health care facilities, aid organizations, and academic and research institutions. The prin­ciples taught in the course will be applicable to all countries, but the case studies will focus on Brazil and Latin-American countries. The case studies will include quantitative exercises with data analysis. Applicants must be proficient in Portuguese or in English to read specialized bibliography.

Application: Individuals who are interested should submit a Letter of Intention, explaining the reasons for attending the course, and a brief curriculum vitae (maximum of 5 pages) until July 1st, 2011.  To apply, please send a message to: capacitacaoapfts@gmail.com. International applicants are responsible for obtaining visas.

Contact: for further information, please call (61) 3315-2598 (Brazilian Ministry of Health – Márcio) or (21) 2234-7378 (Social Medicine Institute – Mayra) or send an e-mail to capacitacaoapfts@gmail.com

Course content

Health workers and labour market principles. How do health workers function within a health system? How are health workers defined (e.g., education, skills)? What factors affect the labour force supply and demand, and how are wages deter­mined?

Workforce need, demand, and supply. What methods are used to estimate health workforce need and demand? How is workforce supply forecasted? How can skill mix changes re­duce forecasted shortages? How is inequality measured? What are the key health worker data sources?

Incentives, productivity, performance. How do you recruit and retain health work­ers? What factors affect equity and distribution, and how can you influence them? How do you recruit workers for rural areas? What incentives have been tried and to what effect?

Financing. How do financing choices affect the health workforce? What are the different types of healthcare financing systems that exist, and what are the advantages and disadvan­tages of each? How do countries vary with respect to public, pri­vate, insurance, and out of pocket payments?

Policy and research designs for evaluations. How do you include an evaluation component within a policy design, for example, to test the ef­fect of incentives? How do economists and policy-makers work together, and what are examples of how they have worked to­gether in your home country? How do global health initiatives such as the United Nations Millennium Development Goals af­fect workforce planning?

Leave a Reply